Peregrinar neste blogue

2005-10-10

Saudades

Love never dies a natural death. It dies because we don't know how to replenish its source. It dies of blindness and errors and betrayals. It dies of illness and wounds; it dies of weariness, of witherings, of tarnishings.

Anaïs Nin

2 comentários:

Lumife disse...

Parabéns à aniversariante. Agora é que voltei mesmo de vez para normalizar as minhas visitas aos amigos(as). Foi um período de ansiedade, expectante, tanto quanto maravilhoso foi o resultado final.
Valeu a pena!

Dilbert disse...

Oi Pitucha...
Saudades é uma palavra que me diz muito ou não adorasse eu o fado... suponho que todos nós as sintamos de vez em quando... eu sei que sinto...
Já agora, também tenho saudades do almoço de bloguistas :) e de ti
Beijokas amiga